jusbrasil.com.br
23 de Agosto de 2017

Marcelo Odebrecht começa a depor em delação premiada

Ylena Luna, Administrador
Publicado por Ylena Luna
ano passado

Marcelo Odebrecht cedeu. O herdeiro da maior construtora do país fechou um acordo para fazer delação premiada e começou a depor para a força-tarefa da Lava-Jato ainda antes da Xepa, a 26ª fase da operação, deflagrada nesta terça-feira.

Além dele, os demais executivos da empresa investigados também vão colaborar com a Justiça.

A seguir a nota da empresa:

As avaliações e reflexões levadas a efeito por nossos acionistas e executivos levaram a Odebrecht a decidir por uma colaboração definitiva com as investigações da Operação Lava Jato.

A empresa, que identificou a necessidade de implantar melhorias em suas práticas, vem mantendo contato com as autoridades com o objetivo de colaborar com as investigações, além da iniciativa de leniência já adotada em dezembro junto à Controladoria Geral da União.

Esperamos que os esclarecimentos da colaboração contribuam significativamente com a Justiça brasileira e com a construção de um Brasil melhor.

Na mesma direção, seguimos aperfeiçoando nosso sistema de conformidade e nosso modelo de governança; estamos em processo avançado de adesão ao Pacto Global, da ONU, que visa mobilizar a comunidade empresarial internacional para a adoção, em suas práticas de negócios, de valores reconhecidos nas áreas de direitos humanos, relações de trabalho, meio ambiente e combate à corrupção; estabelecemos metas de conformidade para que nossos negócios se enquadrarem como Empresa Pró-Ética (da CGU), iniciativa que incentiva as empresas a implantarem medidas de prevenção e combate à corrupção e outros tipos de fraudes. Vamos, também, adotar novas práticas de relacionamento com a esfera pública.

Apesar de todas as dificuldades e da consciência de não termos responsabilidade dominante sobre os fatos apurados na Operação Lava Jato – que revela na verdade a existência de um sistema ilegal e ilegítimo de financiamento do sistema partidário-eleitoral do país – seguimos acreditando no Brasil.

Ao contribuir com o aprimoramento do contexto institucional, a Odebrecht olha para si e procura evoluir, mirando o futuro. Entendemos nossa responsabilidade social e econômica, e iremos cumprir nossos contratos e manter seus investimentos. Assim, poderemos preservar os empregos diretos e indiretos que geramos e prosseguir no papel de agente econômico relevante, de forma responsável e sustentável.

Em respeito aos nossos mais de 130 mil integrantes, alguns deles tantas vezes injustamente retratados, às suas famílias, aos nossos clientes, às comunidades em que atuamos, aos nossos parceiros e à sociedade em geral, manifestamos nosso compromisso com o país. São 72 anos de história e sabemos que temos que avançar por meio de ações práticas, do diálogo e da transparência.

Nosso compromisso é o de evoluir com o Brasil e para o Brasil.

Por Vera Magalhães em Veja

31 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

A secretária da Odebrecht, Maria Lúcia Tavares, resolveu abrir o bico e denunciar um setor na empresa exclusivamente destinado a contabilizar e controlar o pagamento de propina a agentes públicos. Ele tinha níveis de alçada para autorizar desembolsos e ostentava o nome pomposo de “Setor de Operações Estruturadas”.

A par da delação de Maria Lúcia, a Suíça deu sinais de que não vai mais dar guarida a ativos financeiros de origem comprovadamente espúria. Dispõe-se a colaborar com o Brasil e outras nações nessa questão. O Procurador Geral da República foi àquele País tratar exatamente desse assunto.

Há, com efeito, grande possibilidade de uma parte considerável do dinheiro desviado ser repatriado e voltar para os cofres públicos. Os executivos da Odebrecht decerto perceberam os novos tempos e fizeram uma análise custo-benefício, para chegarem à conclusão de que é melhor perder os anéis do que perder os dedos. Pragmatismo é a palavra de ordem. Ninguém aqui é ingênuo de achar que mafiosos, de uma hora para outra, resolvem se tornar éticos. continuar lendo

É, mas é tudo "golpe da elite".
Elite que andaria de avião na classe econômica e não aceitaria pobres a seu lado.
...
Pior que ainda tem gente que acredita nesse enredo ridículo.
Para completar o clima de novela mexicana na versão petista, no último capítulo Lula deveria dizer: "Dilma, eu sou seu pai!" continuar lendo

É...quando Marcelo Odebrecht percebeu (caiu a ficha) que foi condenado a 19 anos, e não a 19 meses, pensou: o que? vou amargar 19 anos para proteger um safado desses? Resolveu abrir o bico rapidinho. continuar lendo

Ricardo, Maria Lúcia Tavares acordou a delação premiada, mas conforme noticiado na imprensa o MPF desmente o acordo de delação premiada de Marcelo e outros. Pode ser uma jogada da empreiteira para desmoralizar e mudar os rumos da operação lava-jato.
A Odebrecht aliada aos políticos listados (apelidos), não se pode desprezar.
Pode também ser verdade e há um vazamento de sigilo.
O MPF pode estar se resguardando para não comprometer e melar as novas operações, uma vez que Teori Zavascki já determinou mudança em algumas ações. continuar lendo

""Esperamos que os esclarecimentos da colaboração contribuam significativamente com a Justiça brasileira e com a construção de um Brasil melhor"

O cinismo de todo delator. Que nojento! Argh. continuar lendo

Wagner, como poderia ser diferente?

Se eles falassem a verdade seria algo do tipo: "esperamos que a colaboração livre a barra do nosso chefe e cause o mínimo de estrago aos nossos negócios, apesar de o governo sempre dar uma força."

Agora que é nojento, isso é mesmo.
Esse sujeito é uma espécie de capitão-donatário do século XXI. continuar lendo

Wagner, não é delator, e sim colaborador (nome legal).

Wagner, nada de nojento. Entre ser condenado por algo indefensável, é preferível beneficiar-se de pena menor em troca de outros safados iguais a ele que não confessam.

O colaborador se beneficia na mesma proporção que o seu silêncio beneficia a outro marginal igual a ele.

Serão então dois nojentos. Aquele que colabora e aquele que acha todos são idiotas.

Abraços. continuar lendo

Na verdade essa colaboração não é a tal da "delação premiada".

A empresa está se referindo em sua nota com a colaboração no acordo de leniência firmado com a Controladoria por interferência do ex Ministro Cardozo da Justiça.

Eles continuam não cedendo e protegendo "Il capo". continuar lendo

À Nadir Tarabori, em especial.
Olá! Gostaria de tirar meu chapéu, se o usasse, pela propriedade e, mais do que isso, sua elegância nos comentários. Também a todos os comentários aqui feitos. O que me alegra é saber que está sendo debatido. Sem debate, não se chegou a nada.
Abraço a todos continuar lendo

Vejamos se ele vai abrir o bico mesmo ... até ver algo concreto fico de plantão com meu ceticismo.

Esse cara não é um Delcídio ... é um dos verdadeiros donos do Brasil.

Outra jogada que preocupa são as palavras do novo Ministro da Justiça sobre vazamentos ... vamos lembrar que ambas a s partes podem vazar conteúdo, uma para pressionar e outra para tentar anular o processo. continuar lendo